Câncer da pele – Carcinoma basocelular

O CARCINOMA BASOCELULAR

Carcinoma basocelular  é o câncer de pele mais comum entre pessoas caucasianas . Apesar de ter uma baixa mortalidade, dado que raramente sofre metástase, ele tem um grande potencial de destruição local, podendo causar graves problemas estéticos e funcionais, que representam desafios aos centros de tratamento médico.

A incidência deste tumor vem aumentando progressivamente chegando a até 30% da população acometida em alguns países

É muito mais comum em caucasianos e raro em negros e em pessoas de pele mais escura

A incidência em homens é 30% maior que nas mulheres

Países próximos ao equador são os com maior incidência deste tumor

A incidência aumenta com a idade. Pessoas de 55 a 75 anos tem 100x mais chance de desenvolver este câncer que os jovens até 20 anos de idade.

40% dos pacientes que tiveram um carcinoma basocelular terão outro ao longo da vida

 

FATORES DE RISCO

É MULTIFATORIAL: GENÉTICO E AMBIENTAL

RADIAÇÃO ULTRA-VIOLETA (SOL)

É o fator ambiental mais importante, especialmente para pessoas de pele, olhos e cabelos claros.

Pessoas com muitas “sardas” e com passado de queimaduras solares são mais predispostas.

Parece que a exposição solar da infância e juventude é um fator de risco mais importante que a exposição na idade adulta.  A correta fotoproteção até os 18 anos de idade pode diminuir em até 80% a chance de se ter este tumor. Ou seja, o histórico de exposição durante toda a sua vida influenciará na predisposição de ter este câncer na idade adulta ou quando mais velho.

Tanto a frequência quanto a intensidade da exposição ao sol são fatores de risco importantes

 

CÂMARAS DE BRONZEAMENTO ARTIFICIAL

Aumentam o risco de desenvolvimento do carcinoma basocelular, especialmente para os usuários com frequência igual ou maior que 6x ao ano. Alguns estudos mostram uma chance de até 60% maior de se ter este câncer para os usuários de câmaras de bronzeamento artificial que quando comparado a população normal (não usuários).

 

EXPOSIÇÃO TERAPÊUTICA (PUVA)

Pacientes em tratamento com psoraleno + ultravioleta A (PUVA) têm maior risco, embora nestes casos o risco maior seja para o carcinoma espinocelular e menor para o carcinoma basocelular.

Pacientes que se tratam usando ultravioleta B (Narrow band UVB) tem bem menor risco de ter estes tipos de câncer relacionados a este tratamento. Alguns estudos chegam a ter estatísticas iguais a de pessoas comuns (que não estão em tratamento com UVB).

 

USO DE MEDICAMENTOS FOTOSENSIBILIZANTES

Os estudos ainda não são totalmente conclusivos. Pacientes que usam medicamentos fotossensibilizantes como tetraciclinas e diurético, provavelmente podem ter um risco aumentado mas pouco significativo.

EXPOSIÇÃO CRÔNICA AO ARSÊNIO

Este é um fator de risco bem definido para desenvolvimento do carcinoma basocelular. Pessoas que ingeriram água ou frutos do mar contaminados ou medicamentos com esta substância estão mais predispostas, mesmo muitos anos depois do contato com o arsênio.

IMUNOSSUPRESSÃO

(TRANSPLANTADOS E PACIENTES HIV +)

Tem risco aumentado embora também mais para carcinoma espinocelular que carcinoma basocelular

RADIAÇÃO IONIZANTE

Pacientes que tiverem que se submeter a este tratamento tem risco significativamente aumentado (em até 10x) de desenvolverem o  carcinoma basocelular. Quanto maior a dose, maior o risco.

OUTROS FATORES DE RISO

DOENÇAS GENÉTICAS : Epidermólise bolhosa, Sindrome do Nevo basocelular

NEVO SEBÁCEO

Embora não muito alto o nevo sebáceo tem o risco aumentado de aparecimento do carcinoma basocelular.

TABAGISMO E CONSUMO DE CAFÉ

Podem estar associados mas ainda não existe nenhum estudo conclusivo definitivo.

 

TIPOS HISTOLÓGICOS DO CARCINOMA BASOCELULAR

bccbmj002.large