Como avaliar suas pintas. O que chama atenção para a possibilidade de ser melanoma?

O que é o MELANOMA?
O melanoma é o mais grave e perigoso câncer de pele e sua incidência está cada vez mais alta, em parte devido ao aumento das radiações solares pela diminuição da camada de ozônio.

Este câncer se desenvolve por um erro no reparo do DNA da pele (mais frequentemente provocado pela radiação ultra-violeta do sol e de câmaras de bronzeamento artificial) sendo o gatilho para mutações genéticas que fazem as células se multiplicarem rapidamente originando o tumor maligno.

Estes tumores se originam nas células produtoras de pigmento (melanócitos) na camada basal da epiderme.

Frequentemente eles se assemelham a pintas e alguns podem se originar de pintas já existentes.

A maioria dos melanomas são de cor preta ou marrons, mas também podem ser cor de pele, rosados, avermelhados ou esbranquiçados.

O melanoma é causado principalmente pela exposição ocasional e intensa ao UV especialmente naqueles geneticamente predispostos a doença.  Estima-se 9.710 novos casos por ano nos Estados Unidos.

Embora o melanoma seja curável, quando descoberto na sua fase inicial, muitos pacientes ainda morrem deste tipo de câncer da pele, até mesmo jovens, pela demora no diagnóstico e no tratamento

Como você pode diagnosticar o melanoma?

É importante que todos, mas principalmente aqueles que tem casos na família e aqueles que possuem muitas pintas (nevos) saibam se auto-examinar. Em grande parte dos casos de diagnóstico de melanoma a percepção de uma “pinta” diferente vem do paciente.

A suspeita do diagnóstico é clinica. Existe um exame com uma lente de maior aumento feito pelo dermatologista chamado dermatoscopia que auxiliará no diagnóstico e na decisão da retirada ou não da lesão.

O diagnóstico é confirmado pela biopsia da lesão.

Quais são as vantagensa da dermatoscopia ?
– aumenta a credibilidade para a retirada cirúrgica das lesões
– auxilia o diagnóstico precoce do melanoma cutâneo
– indica se uma lesão precisa ser retirada com extensa margem de segurança ou não
– permite que lesões benignas sejam acompanhadas, evitando-se biópsias desnecessárias e muitas vezes traumáticas
– documentação digital das lesões

Quais são os grupos de risco para o  Melanoma?
Alguns indivíduos têm risco maior que outros:
– indivíduos de pele clara que ficaram muito expostos ao sol, em especial na infância ou adolescência
– pacientes com muitos sinais escuros (nevos melanocíticos), em particular sinais escuros grandes e irregulares (nevos melanocíticos displásicos)
– um ou mais casos de melanoma na família
– história pessoal de melanoma
Quais são as áreas de risco? 
Tanto as expostas quanto as protegidas do sol:
– pernas (local mais comum nas mulheres brancas)
– dorso (nos homens brancos)
– plantas dos pés (nas mulheres e homens negros)
O melanoma surge mais comumente na pele normal, mas tem diferença em relação às outras pintas, sendo um sinal escuro que cresce rápido, que pode mudar de cor, e até coçar e sangrar.

Como funciona- Regra A-B-C-D-E?
Se mais de um dos critérios abaixo for aplicado, entre em contato com seu dermatologista:
A – Assimetria
B – Bordas (extremidades irregulares, borradas ou denteadas)
C – Cor (marrom / preto / áreas avermelhados ou brancas)
D – Diâmetro (mais de 6 milímetros)
E – Evolução (mudanças da lesão)

A – Assimetria

As lesões de melanoma são frequentemente irregulares ou assimétricas no formato. As pintas benignas são simétricas.

 

B – Bordas

Os nevos não cancerígenos têm as bordas bem definidas, no melanoma as bordas são irregulares de dificéis de serem delimitadas. T

 

C – Cor

A presença de mais de uma cor  (azulado, negro, acastasnhado, etc.) ou a distribuição heterogênia da cor é um sinal de alerta para o melanoma. Lesões benignas geralmente tem única marrom ou acastanhada.

 

D – Diametro

As lesões de Melanoma são normalmente maiores de 6 millimetros de diâmetro.

 

Mudanças que podem ser sinal de alarme
– alteração de cor (escurecimento, mudança da cor original, múltiplas cores)
– alteração de tamanho (aumento, diminuição, elevação)
– alteração ao redor da lesão (vermelhidão, clareamento, inchaço)
– alterações sensitivas (coceira, ardência, queimação, sensação estranha)
– sangramento na lesão
– novas lesões

Muitas vezes quem nota uma pinta ou mancha diferente é a própria pessoa ou algum familiar. Se você tem muitas pintas ou manchas , familiares que tiveram este câncer de pele ou a pele, olhos e cabelos muito claros TENHA SEMPRE O HÁBITO DE SE EXAMINAR!